Dante Aleghieri

0

 

Para compreender a obra de Dante é fundamental conhecer o contexto de sua vida – e a compreensão de sua vida só é possível através do conhecimento de sua obra. Que foi um gênio não restam dúvidas – um gênio plasmado pelo contexto sócio-político do seu tempo e lugar de nascimento, pela educação e influências culturais que recebeu, por seu círculo de amigos, pelos livros que leu, enfim: por todo o panorama da Península Itálica do século XIV, o trecento (1).
Três foram as grandes paixões de Dante: a poesia, a política e Beatriz – impossível dizer em que ordem. Beatriz é a musa em prosa e verso da Vida Nova e sua guia espiritual no Paraíso. Na poesia, ele criou o material poético da terza rima (2), fio condutor com que teceu a Divina Comédia. Na política, foi membro ativo do  partido dos guelfos, e chegou a pegar em armas contra seus inimigos, ocupando mais tarde o importante cargo militar-administrativo de reitor da cidade, no conselho de seis reitores. Dante Aleghieri, mais que homem medieval,  foi um visionário que fincou as bases para que a Itália pudesse ser, no século seguinte, a estrela radiosa que anunciou a todo o mundo ocidental a chegada do Renascimento.

CONTEXTO POLÍTICO

guelfi_e_ghibelliniA Península Itálica do século XIII era objeto da ambição de  fortes antagonistas: o Papa, ao qual se alinhavam as comunas centrais, o Sacro Império Romano, aliado com o norte e, ao Sul, vigorava o Reino Siciliano, nessa época governado pelo imperador Frederico II.  As comunas ou cidades tinham seus  governantes locais, mas atendiam aos interesses daquele a quem deviam lealdade. Na Florença, onde em 1265 nasceu Dante (3), a hegemonia era disputada por duas facções: a dos guelfos, formada pelo clero e pela baixa nobreza, alinhados com o Papa; a dos gibelinos, da alta nobreza, aliada ao Imperador.

A FORMAÇÃO DO POETA

Dentro desse contexto conturbado, o guelfo Jacob Aleghieri entregou a educação do filho a um mestre erudito, Bruneto Latini, poeta que escrevia em toscano, e que muito influenciou o aluno no tocante à filosofia e retórica. Sabe-se que Dante estudou a poesia toscana e latina, mas a grande influência será da “Scuola poetica siciliana” (4), em que vigoravam primeiramente as baladas e  cantigas ao estilo provençal, para, em seguida, criar um estilo próprio de versejar, inclusive inventando requintado estilo  poético, o soneto,  cuja autoria é atribuída a Jacob da Lentini (5). Toda essa poesia, tanto a das cantigas quanto a dos ‘versos novos’, chegou a Dante através de seu amigo, o poeta Guido Cavalcanti (6) e provavelmente de outros poetas que frequentavam a corte siciliana. mapa-da-siciliaA poesia religiosa até então dominante foi suplantada pela poesia profana através da lírica trovadoresca que ganhou novas formas com Guittone d’Arezzo (7), Dante, Guido Cavalcanti, criando o dolce stil nuovo, (8) inspirados nas rimas do poeta bolonhês Guido Guinizelli (9). Inspirado por  essa influência, o poeta Guido Cavalcanti forma uma nova escola poética à qual se incorporam, dentre outros, Lapo Gianni, Cino de Pistoia, Bruneto Latini (10), e seu amigo Dante, o qual tinha, nessa época, dezoito anos de idade. A nova escola foi um movimento não só de inovações estéticas, como também de orientações religiosas e filosóficas. Pregava que o amor era inseparável da nobreza do coração; a mulher, um ser que enobrece a quem a contempla. Poesia amorosa que  difere da provençal no tocante à visão quase incorpórea da mulher. Amor-contemplação, sublimação da mulher amada. Coincidência ou não, por essa época Dante conheceu Beatriz.
Certamente Dante foi um autodidata, mas alguns biógrafos dizem que ele teria estudado na Universidade de Bolonha, onde teria adquirido os vastos conhecimentos de Teologia, Filosofia, Mitologia, Antiguidade Clássica Latina – e conhecido o poeta Guido Guinizelli.   Dante passou a se interessar fortemente pelos autores da Antiguidade Clássica latina, dentre os quais Virgílio (11), Horácio, Ovídio e Cícero. Tito Lívio, Sêneca e Plínio são também autores latinos citados na Divina Comédia.

BEATRIZ
quando-dante-viu-beatriz-pela-1-vez-rossetiDante tinha nove anos de idade na primeira vez que viu Beatriz; voltou a vê-la quando tinha dezoito, sendo ela então uma mulher casada (12).  Não se sabe se os dois alguma vez se falaram. O que se sabe desse amor é que a imagem sublimada de Beatriz estaria na mente e no coração do poeta durante toda a sua vida, até o fim de seus dias. O reencontro de Beatriz coincide com a adesão de Dante à escola nova, ao Dolce stil nuovo, veículo perfeito para expressar a nova visão que os poetas terão do amor e da mulher. O verdadeiro amor produz a sublimação da amada que é vista como uma criatura perfeita de Deus. Beatriz morreu em 1290, mas o poeta celebra em seus poemas uma mulher a quem a morte sublimou acima da imagem corpórea. O amor em sua poesia não é propriamente cortês (conhecido nas cortes), mas amor sublimado por uma entrega total, sem ironia nem distância. Ao mesmo tempo é amor a uma mulher concreta, que está divinizada na visão de Deus, mas não é Deus. A expressão amorosa de Dante em ‘La vita nuova’ contém terminologia mística, mas não é uma poesia religiosa (13). É dessa maneira que o poeta vai amar a mulher que sua alma escolheu, e é como um ser bem aventurado que ele vai descrevê-la no Paraíso, onde ela o conduz pelos nove círculos pelos quais ele vai ascendendo até ter a visão da Suprema Sabedoria. Interessante pensar que uma jovem toscana jamais seria conhecida se não fosse amada por um jovem poeta – e que seu nome jamais será esquecido como uma das personagens mais famosas da literatura clássica.

O HOMEM POLÍTICO
Dante inicia sua vida política quando Florença estava sob  a proteção  do Papa Clemente V, o qual apoiava o partido dos guelfos, partido ao qual pertencia o poeta. No entanto, sempre defendeu a idéia da separação entre a Igreja e o Estado, o que se verá em sua obra De Monarcchia.seis priores que governavam a cidade, função que seria sua desgraça.  A situação política havia sofrido cruciais mudanças a que se seguiriam duros revezes. O papa Clemente V, que era favorável ao partido dos guelfos, renunciara (ou fora ‘renunciado’) do cargo, e seu lugar fora tomado por Bonifácio VIII, partidário dos gibelinos. Por outro lado, o partido guelfo se dividira em duas facções, a dos guelfos brancos e a dos guelfos negros (14), sendo estes, na verdade ‘gibelinos envergonhados’, apoiados pelo Papa.  Como membro do conselho de reitores, Dante até então havia se mantido imparcial na luta entre brancos e negros, atendo-se a cumprir os deveres de seu cargo. Mas deixou de lado sua imparcialidade quando se tratou de defender Florença contra as investidas de Bonifácio VIII. A Toscânia resistia contra todos os ‘pacificadores’ enviados pelo papa, recebia mal seus embaixadores, inclusive Carlos de Valois, irmão de Felipe, o Belo, rei da França. Refutando qualquer influência da Santa Sé, o Conselho de Florença resolveu enviar uma delegação a Roma, da qual Dante fazia parte – pretendia confrontar Bonifácio para que ele revelasse suas verdadeiras intenções. Em resposta, o papa reteve Dante em Roma e mandou de volta a delegação. Solicitou em seguida ajuda da França para dominar Florença. Carlos de Valois, com auxílio dos guelfos negros, invadiu Florença. Por seis dias massacrou um grande número dos partidários da facção dos guelfos brancos, devastou a cidade e passou o governo ao guelfos negros.

O EXÍLIO

Derrotados, os guelfos brancos ficaram à mercê de seus vencedores, que exilaram todos os que pudessem oferecer alguma resistência ao novo poder. Nesse grupo se incluía Dante que, na verdade, já se auto-exilara. Algum tempo depois foi oferecida a anistia aos exilados, desde que eles pagassem uma multa de 5.000 liras e, acima de tudo, que se retratassem publicamente e se reconhecessem como os ofensores.  Dante recusou-se a cumprir essas condições, preferindo o degredo a tal humilhação. A partir daí o Papa declarou-o proscrito,   condenado a exílio perpétuo, e mais – declarou que, se fosse capturado por algum soldado florentino poderia ser morto sumariamente queimado na fogueira. Essa sentença foi depois comutada para prisão,  sob a condição de que Dante  fosse a Florença e jurasse solenemente que jamais entraria novamente na cidade. Outra vez o poeta se recusou a submeter-se às condições dos gibelinos de Florença. E, ainda que exilado da cidade, participou de várias tentativas para reconduzir os guelfos brancos ao poder. Os conluios e traições dos florentinos baldaram todas essas tentativas. Dante ainda buscou aliança com os príncipes da Europa, escrevendo a vários deles, sobretudo a Henrique VII (1275-1313), Imperador romanogermânico, a quem o poeta denomina Arrigo, no Purgatório, descrevendo o trono de honra que o espera no Paraíso. Dante confiava que ele iria reinstalar o poder  imperial na Itália e acabar com o controle temporal da Igreja Católica, sediada em Avignon. O poder de Henrique (Arrigo) durou pouco, e, logo após sua morte, o controle voltou para as forças anti-imperiais.

 (15). Com Henrique foi derrotado, e Dante tornou-se persona no grata  para guelfos e gibelinos, por apelar para príncipes estrangeiros, a fim de tirar de Florença o domínio dos Negros. dante e seu livroProfundamente amargurado com a irredutível intolerância dos adversários, e, sobretudo, com a omissão de seus antigos aliados, Dante abandonou totalmente a política, passando a considerar-se partido com um único membro: ele mesmo. No Canto XVII do Paraíso, 55-60, o poeta se queixa amargamente do exílio, uma espécie de morte, pois, longe de Florença ele se sentia alienado de sua própria identidade. “Tu lascerai ogne cosa diletta / piú caramente; e questo è quello strale / Che l’arco de lo essilio pria saetta.// Tu proverai si come as di sale / lo pane altrui, e como è duro calle / lo scendere e ‘l salir per l’altrui scale. “ (16) A essas alturas, ‘perdido numa mata escura’, começou a escrever A COMÉDIA, título ao qual seu melhor biógrafo, Boccaccio (17), acrescentou o termo DIVINA,  pela  grandeza e pelo maravilhamento que a obra causava. Vivendo de cidade em cidade, sabe-se que em Verona foi hóspede de Bartolomeu della Scalla; mudou-se para Sarzana, na Ligúria e depois teria vivido em Lucca, onde foi acolhido por Madame Gentucca, à qual mais tarde agradeceu, colocando-a no Purgatório (Canto XXIV, 37). Algumas fontes afirmam que ele teria vivido em Paris entre 1308 e 1310.

buasto-de-dante-em-ravenaEm 1318, é convidado por Guido Novello de la Polenta para viver em  Ravena.  E foi em Ravena que ele terminou o PARAÍSO e faleceu poucos meses depois. O ano era 1321. Dante tinha 56 anos de idade. Foi sepultado na Igreja San Pier Maggiore. Seus restos mortais foram honrados com um monumento funerário, homenagem ao gênio que já era reconhecido como grandioso por seus contemporâneos. Na sepultura de Dante foi gravado um poema de seu amigo Canaccio, que termina com o verso
parvi Florentia mater amoris
“Florença, mãe de pequeno amor”

NOTAS

1. O trecento é o período da História da Arte italiana dos anos 1300, ou seja, século XIV. Antecede oQuatroccento, primeira fase do Renascimento.

2.Sobre a terza rima escrevo um artigo à parte na categori

3. Não há registro oficial da data de nascimento de Dante. Ele informa ter nascido sob o signo de>Gêmeos, entre fim de maio e meados de junho. A referência mais confiável é a data de 25 de maio de 1265. Dante, na verdade, é uma abreviação de seu real nome, Durante.

4. A .Scuolla Poetica Siciliana surgiu e prosperou na corte do referido Frederico II, da qual ele próprio fazia parte, assim como seus filhos.

5. Jacopo da Lantini (1210-1260) foi aclamado como o mestre da Scuola poetica Siciliana, cujas obras chegaram a Florença e serviram de inspiração para a criação do dolce still nuovo. Foi imortalizado por Dante na Divina Comédia, no Purgatório, Canto XXIV, 55-57.

6.Guido Cavalcanti (Florença, 1255-1300), o amigo de Dante, foi o mais importante poeta florentino na criação na nova escola poética, o dolce still nuovo. É citado por Dante nas Rimas, no livro De vulgare eleoquencia e na <>>DIVINA COMEDIA, </>no Inferno (Canto X) e no Purgatório (Canto XI). Embora seu amigo, Dante, exercendo o cargo de Prior, teve que exilá-lo de Florença, em junho de 1300, juntamente com outros chefes das facções negra e branca, que estavam constantemente conturbando a cidade com seus confrontos. Em agosto do mesmo ano, devido ao fato de estar doente, Guido pôde retornar à cidade natal. Sua poesia inspirou a muitos de sua geração e das gerações seguinte, sendo Citado por Boccaccio em um dos contos do Decameron.

7. Guitonne d’Arezzo (Florença, 1235 – 1294). Foi o melhor poeta toscano, antes de Dante Aleghieri. Escreveu baladas e cantigas, influenciado pelo estilo provençal. Como não aderisse ao novo estilo novo, Dante o colocou no Purgatório (Canto XXVI, 49), acusando-o de ser um exemplo negativo para o uso do vernáculo toscano.

8. A expressão dolce still nuovo que serviu para expressar o estilo poético florentino do século XIII foi tirada de um verso de A DIVINA COMÉDIA.

9. Guido Guinizelli (Bologna, 1235-Meonselice, 1276) participou da Scuola Siciliana e depois da de toscanan, sendo considerado o inventor e iniciador do Dolce  still nuovo.  Objeto de grande afeição de Dante, que o considerava pai e mestre, é colocado no Purgatório ( Canto XXVI) , com as seguintes palavras: a causa primeira (de tamanha afeição) foram os seus maviosos versos, os quais hão de ser amados enquanto perdurar nosso idioma.<

 10. Lapo Gianni ( Florença, 1298-1321). </>

Cino de Pistoiadolce still nuovo do século XIII e a lírica poética do séculoXIV.</>
Bruneto Latin

 11.Virgílio (70 a.C – 19 a. C) Um dos maiores poetas de Roma e expoente da literatura italiana. Autor da Eneida, Geórgicas e Éclogas.

 12 Dante também se casara, por imposição da família, aos 12 anos de idade. Esse arranjo era costume da época. O nome de sua esposa era Gemma, e tiveram vários filhos.

13. ARROYO, Ciríaco Morrón – Antología de La lírica medieval castellana. Salamanca, publicaciones del Colegio de España, 1989.

14. Bianchi, brancos. Em oposição, os filhos da segunda esposa adotaram o apodo Neri, negros – sendo que, na verdade, sua verdadeira ideologia se ligava aos gibelinos. Houve uma intervenção dos guelfos florentinos para acabar com a revolta na cidade e os líderes da revolta foram presos em Florença. No final, ao invés de obter a paz, Florença foi contaminada pela dissensão, dividindo-se os guelfos, também ali, em brancos e negros. Os guelfos negros eram radicais que apoiavam a tirania do papa contra o imperador. Os brancos rejeitavam tanto a tirania do papa quanto a do imperador

15. Henrique III (1275-1313), Imperador romano- germânico, a quem o poeta denomina Arrigo,  na Divina Comédia.

16. Deixarás toda a coisa que te é dileta
mais caramente; e este é dardo tal

que o arco do exílio antes projeta.

Tu provarás assim o sabor a sal
do alheio pão, e como é duro e mal
se desça escada alheia ou já se escale. 

(Tradução de Vasco Graça Moura)

17. Giovanni Boccaccio nasceu em Florença (ou Certaldo) em 1313 e morreu em Certaldo em 1375. Grande poeta e crítico literário italiano, foi um humanista cuja principal obra é o Decameron – considerado o primeiro escritor realista da literatura universal. Especializado na obra de Dante, foi inúmeras vezes convidado para fazer leituras públicas e palestras em diversas cidades. Fez cerca de 55 palestras e pretendia fazer um estudo sobre toda a obra mas a doença não lhe permitiu ir até o fim de seu projeto. Mesmo assim, foi autor de uma das primeiras biografias de Dante conhecida como Vita di Dante e seus comentários foram publicados com o título esposizioni sopra la Comedia di Dante.

FONTES

1.ALEGHIERI, </>>Dante – A Divina comédia – eBook – Tradução de José Pedro Xavier Pinheiro – São Paulo – eBooksBrasil, 2003

2.ALEGUIERI, Dante – A Divina Comédia – bilíngue, Tradução de Vasco Graça Moura – São Paulo – Editora Landmark, 2011

3. Ciríaco Morrón – Antología de La lírica medieval castellana, Salamanca, publicaciones del Colegio de España, 1989

4,BLOOM, Gênio Rio de Janeiro, Editora Objetiva, 2002<

5.CARPEAU, </>Otto Maria – História da Literatura Ocidental, 1, São Paulo, Editora Leya, 2010<

6.  DA ROCHA, Helde4 – A Divina Comédia , no site  www.stelle.com.br

7. Wikipédia

 

Share.

About Author

Leave A Reply